19/01/2011

O menino que tirou a sede de meio milhão de africanos

Não importa por que meios ou formas. Importa é ter atitude para que o bem seja feito sem olhar a quem e principalmente aos que mais necessitam. Se ficarmos a discutir de quem é a responsabilidade para fazer isso ou aquilo morreremos sem qualquer iniciativa.

Vale lembrar que há muitas pessoas nesse momento fazendo algo de bom em favor do próximo de forma anônima.

Nesse caso específico, tanto muitos políticos quanto muitas religiões do mundo são colocadas no bolso por uma atitude generosa, onde o único retorno é a gratidão pelo bem feito.(Por Mutações)






http://www.ryanswell.ca/

4 comentários:

Balaio Variado disse...

Que estória fantástica Karla!

É o exemplo de um menino com poucas condições e que fez toda a diferença. Imagine então, se as pessoas mais abonadas e os governantes fizessem algo minimamente parecido...

Abraços
Balaio Variado

aconchegoedescanso disse...

Lindíssima esta historia. Lembra a historia do filme "A corrente do bem". Porque, no filme, o projeto do aluno era fazer algo que fosse extremamente difícil para cada um. Assim como o foi para o personagem desta ong. Sou totalmente a favor de criarmos, cada um, a nossa propria corrente do bem. Parabéns, bjs.

Anônimo disse...

Queria ter esta mesma disposição,parabéns ao garoto Ryan...

aconchegoedescanso disse...

Lindíssima esta historia. Lembra a historia do filme "A corrente do bem". Porque, no filme, o projeto do aluno era fazer algo que fosse extremamente difícil para cada um. Assim como o foi para o personagem desta ong. Sou totalmente a favor de criarmos, cada um, a nossa propria corrente do bem. Parabéns, bjs.

Postar um comentário

Não faça comentários com endereço de sites e blogs.Eles não serão publicados. Para contato envie um e-mail para karlaketylin@gmail.com e terei o maior prazer em responder.